Leonardo Padura abre sessão de palestras da décima edição da Bienal Internacional do Livro nesta sexta dia 02

Leonardo Padura abre sessão de palestras da décima edição da Bienal Internacional do Livro nesta sexta dia 02

Contagem regressiva para um dos três principais eventos literários do País, a Bienal Internacional do Livro, que movimenta a região desta sexta (02) ao dia 12 de Outubro, das 10h às 22h, no Centro de Convenções, em Olinda, Penambuco. A Bienal pernambucana celebra sua décima edição com o tema “Literatura, Resistência e Transformação”, comprovando sua importância para a projeção de trabalhos de nomes consagrados e autores ao longo de quase duas décadas de existência. E a questão terá destaque especial em sessão de abertura, às 11h, nesta sexta (02/10), com o título “A leitura como ferramenta de transformação do mundo e força que transforma o mundo em um grande polo de mentes pensantes”.

padura-11

Este bate-papo, mediado pelo coordenador geral da Bienal, Rogério Robalinho, contará com a participação de expositores, apoiadores, patrocinadores e personalidades brasileiras e enfocará em sua pauta o desafio de materializar a Bienal como uma tecnologia social capaz de unir pessoas, tendências e apoiar a transformação da sociedade. E é com esta proposta que a festa literária promete deixar mais uma vez sua marca no cenário literário e cultural nordestino numa grade ampla e diversificada que envolve pesquisadores e escritores de todo país e de fora do Brasil, que participam de palestras, mesas redondas, lançamentos e inúmeras atividades agregadas à agenda.

Uma prova disso é a primeira grande palestra da programação, a ser realizada nesta sexta (02), às 19h, no Espaço Paulo Freire, com o escritor cubano Leonardo Padura numa conversa com o autor paraense Edyr Augusto, que também contará com presença do sociólogo José Arlindo Soares. Na pauta de discussão, a construção do romance policial, abordando entre os focos o enredo de “Hereges”, sua obra mais recente lançada no Brasil, e, em seguida, os autores autografam seus livros.

No sábado (03), Resistência é destaque em mesa com o psicanalista e escritor Contardo Calligaris, às 15h, que relembra a história de luta da sua família contra o fascismo e de como esse embate marcou sua trajetória, em um bate papo com o público com mediação do jornalista e também pesquisador Paulo Carvalho. E às 18h será debatido o “Espaço de jogo e espaço político: sobre a categoria de Spielraum em Walter Benjamin” pela escritora e crítica suíça radicada no Brasil Jeanne Marie Gagnebin, que conversa sobre um dos temas centrais da obra do filósofo alemão.

No domingo (04), às 15h, uma intervenção musical e poética com os artistas Maciel Salú e Isaar França reincorpora Ascenso Ferreira em homenagem in memoriam ao poeta pernambucano, cujo trabalho e importância é resgatada nesta edição, em virtude de sua contribuição para o avanço da literatura no estado e na região. O dia ainda promete muitas novidades como uma ação especial às 17h à homenageada Luzilá Gonçalves Ferreira, em conversa com o título “Sentidos da Literatura”, com o crítico literário Alexandre Furtado sobre sua obra e a criação em sua vida.

Na segunda (05) o público terá a oportunidade de integrar às 18h uma conversa única com a escritora argentina Selva Almada e o curador Schneider Carpeggiani a respeito do seu primeiro romance lançado no Brasil, “O Vento Que Arrasa”, e sobre o atual panorama da literatura da América Latina. E, na quarta (dia 07), às 16h, “O poder político das palavras” será discutido pela professora de linguística da UFPE Nelly Carvalho que falará sobre os problemas de gênero, cor e geografia que o nosso discurso do dia a dia carrega. Enquanto, às 18h, a professora titular de literatura brasileira da UNB, Regina Dalcastagnè, coloca em foco a questão dos “Ruídos, interferências e dissonâncias: o que resiste na literatura contemporânea” em sua fala, que faz parte da homenagem ao poeta Miró da Muribeca (outro importante homenageado desta edição), numa discussão que retratará os pontos tensos e marginalizados na literatura do País. E às 19h será a vez de Miró em “aDeus” em que o próprio recitará e autografará seu mais recente livro.

Com a preocupação de manter o nível das edições anteriores, a celebração será grande com as homenagens a demais atividades já conhecidas do público. Mas, expandindo ainda mais conhecimento dentro da plataforma de ações, a X Bienal Internacional do Livro de Pernambuco oferecerá minicursos especiais como “A reportagem é uma arma de combate”, ministrado pela repórter pernambucana Fabiana Moraes do Jornal do Commercio, que, durante de três dias, irá aproximar os participantes da feitura da reportagem que decompõe os valores-notícia. A proposta é trazer de maneira dialética algumas problemáticas cotidianas do dia a dia de trabalho da própria profissional: racismo, política, mulheres (cis e trans), poder, visibilidade e seu contrário, vida privada como gatilho de análise do macro. Outra proposta nesta linha “Ilustração e leitura de imagem” com Rosangela Maria de Queiroz Bezerra, conhecida como Rosinha, ganhadora de prêmios pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil com “a Velhinha e o Porco” entre outros, e o Jabuti na categoria Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil com a coleção Palavra Rimada. Ela ministra o minicurso com a ilustradora argentina Anabella López. Mas, ainda teremos outro sobre “Música no cinema: criação e análise” com o produtor Helder Aragãoo DJ Dolores, ministra minicurso sobre o processo de criação de trilhas sonoras para o cinema, com a experiência de quem atua no setor em obras premiadas como o longa pernambucano Tatuagem do Diretor Hilton Lacerda.

Desenvolvida por um núcleo curador, a programação envolve expoentes no país e no mundo nos universos da literatura das mais variadas categorias (ficção, não ficção, policial e fantástica, por exemplo) com uma agenda focada para os todos os públicos (infantil, adolescente e adulto) que poderão contemplar a grade gratuitamente. E ainda haverá um programa voltado ao universo geek com muitas iniciativas diferenciadas para aqueles que curtem RPG, cinema, entre outras. E tudo poderá ser acompanhado pelos visitantes dia a dia por meio de um aplicativo mobile que será disponibilizado para download nos dias do evento, para as plataformas IOS e Android.

Realizada pela Cia. de Eventos e pela Ideação, a X Bienal Internacional do Livro de Pernambuco tem o benefício da Lei Rouanet – Lei de Incentivo a Cultura e do Fundo Nacional da Cultural do Ministério da Cultura – Governo Federal e conta com o patrocínio do BNDES e Petrobrás. Além disso, tem o apoio institucional e cultural de diversas organizações como ANL – Associação Nacional de Livrarias, Plano Nacional do Livro e Leitura – PNLL (iniciativa do MinC com o MEC), Pizzaria Atlântico, Módulo Containers, CBL – Câmara Brasileira do Livro (organizadora da Bienal do Livro de São Paulo), Libre e União Brasileira de Escritores – UBE.

Esta última, inclusive, é responsável pela Plataforma de Lançamentos que abrirá espaço para aqueles autores independentes (poetas, cronistas, contistas, romancistas independentes, entre outros) mostrarem suas produções, a partir de cadastros realizadas pelo site oficial. Ao todo, foram 122 inscrições para interessados em compor esta plataforma durante os onze dias de evento. Mas, esta edição terá muitas novidades para o público que poderá acompanhar todas as informações ainda pela página institucional (http://www.bienalpernambuco.com/), twitter (https://twitter.com/bienal) e fanpage no Facebook ( https://www.facebook.com/BienalPernambuco?fref=ts).
SERVIÇO:
X BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO (
http://www.bienalpernambuco.com/)

Quando: De 02 a 12 de Outubro, das 10h às 22h

Onde: Centro de Convenções de Pernambuco